Como desenvolver as 4 habilidades da Inteligência Emocional

porWitseed
A Inteligência Emocional é uma das principais habilidades para o profissional do futuro e um dos...

A Inteligência Emocional é uma das principais habilidades para o profissional do futuro e um dos maiores desafios do meio corporativo e a notícia boa é que existem métodos e práticas para desenvolvê-la.

Por Maria Clara Ramos

Se disséssemos que estamos vivendo hoje em um mundo com as mesmas características de um ambiente de guerra, o que você acharia? Apesar de assustadora,  essa afirmativa é baseada em um acrônimo, já muito conhecido no meio corporativo: o Mundo VUCA

A sigla foi criada pelo Exército do Estados Unidos logo após o fim da Guerra Fria com o objetivo de descrever a nova realidade do mundo pós-guerra, e sintetiza os termos Volatility (Volatilidade), Uncertainty (Incerteza), Complexity (Complexidade) e Ambiguity (Ambiguidade). Por muito tempo, o conceito do Mundo VUCA ajudou empresas a compreenderem que adotar condutas pautadas em um pensamento linear, quadrado, perfeccionista e altamente detalhado já não era mais compatível com a realidade do mundo em transformações.

Nos últimos anos e principalmente diante da pandemia do coronavírus, outro acrônimo ganhou espaço no meio corporativo, o Mundo BANI, que reúne os termos Brittle (Frágil), Anxious (Ansioso), Nonlinear (Não-linear) e Incomprehensible (Incompreensível). É possível identificar nessas duas concepções, a realidade inconstante, oscilante e impossível de prever a que estamos submetidos já há algum tempo. 

Diante de um cenário tão desafiador e que nos deixa cada vez mais ansiosos, sobrevive e vive melhor aquele que busca desenvolver continuamente a sua capacidade de gerenciar emoções. A Inteligência Emocional é uma das habilidades mais importantes para todo profissional do futuro e neste artigo especial nós reunimos os principais dados, insights e dicas práticas do nosso curso com o Daniel Spinelli, Consultor e Especialista no desenvolvimento de pessoas!

Aqui você vai aprender

  • O que é Inteligência Emocional
  • Quais são as quatro habilidades da Inteligência Emocional
  • Qual a importância dessa habilidade para a sua liderança
  • Como aplicar a Inteligência Emocional na prática

Como a Inteligência Emocional te ajuda a encarar o mundo VUCA/BANI? 

bem estar e burnout dados

A Inteligência Emocional pode ser considerada a “capacidade de monitorar os nossos sentimentos, assim como perceber as emoções de outras pessoas, e usar essas informações para guiar nossos pensamentos e atitudes”. Ela é extremamente importante para o seu sucesso profissional, uma vez que está nas relações com o seu time, com seus pares, seu chefe, além de ser crucial para a construção de relacionamentos saudáveis na sua vida pessoal. 

Como toda qualidade humana, a Inteligência Emocional não é desenvolvida diretamente, mas é expressada a partir do desenvolvimento de outras habilidades, são elas:

#1 Autoconsciência

#2 Autogestão 

#3 Empatia

#4 Gestão de relacionamentos

Existe uma boa notícia para você que quer aumentar a sua Inteligência Emocional: sim, é possível desenvolvê-la! 

A Inteligência Emocional e o futuro do trabalho

Vivemos em uma sociedade que, historicamente, tende a valorizar mais as habilidades técnicas em detrimento das comportamentais, e essa realidade teve como uma das principais consequências uma dificuldade em massa de acessar emoções e sentimentos. Não tivemos essa preparação e muito menos passamos por um processo de educação emocional, mas isso já está mudando e o profissional que se preparar para essa nova realidade vai sair na frente!

O relatório The Future of Jobs, do Fórum Econômico Mundial, que projeta tendências do futuro do trabalho para os próximos cinco anos, apontou no mais recente material, as principais habilidades de todo profissional do futuro e a Inteligência Emocional já aparece como uma delas! Veja abaixo as top 15 competências do futuro que foram listadas pelo relatório: 

tendências habilidades

Fonte: Relatório The Future of Jobs | Fórum Econômico Mundial

É interessante notar que algumas delas também dependem da nossa inteligência emocional, como: 

  • Influência Social
  • Negociação
  • Liderança
  • Criatividade
  • Resiliência 
Inteligência emocional

Quer saber como a Witseed pode ajudar a desenvolver a Inteligência Emocional do seu time? 

Desenvolvendo as quatro habilidades da Inteligência Emocional

#1 Autoconsciência

Inicialmente pode parecer complexo e subjetivo, mas se dividirmos o conceito em dois termos, temos: 

auto = sobre si mesmo

consciência = ter conhecimento, saber, estar ciente sobre algo.

Ou seja, essa habilidade está ligada à nossa capacidade de perceber e nos conectar às nossas emoções diante de situações diversas, e não à toa essa é a competência número um na lista, sem autoconsciência não existe Inteligência Emocional. Afinal, como gerimos algo que não conhecemos? Como aperfeiçoamos atitudes se não sabemos onde está o erro? 

O líder do nosso curso de Inteligência Emocional, Daniel Spinelli, separou algumas dicas poderosas para desenvolver essa habilidade no dia a dia e fazer dela um hábito a longo prazo, uma delas é: tenha um diário. Separe um momento no seu dia para escrever sobre alguma situação que te desequilibrou emocionalmente ou sobre algum sentimento poderoso que surgiu recentemente. 

Ao longo do dia experimentamos uma infinidade de sentimentos e emoções, mas muitas vezes somos incapazes de identificar e nomear o que são cada um deles, uma ferramenta aliada nesse processo é a Roda das Emoções, elaborada pelo psicólogo Robert Plutchik. Esse recurso gráfico identifica o que chamamos de emoções básicas  (situadas no núcleo da circunferência) e estabelece uma relação dessas com as emoções compostas ou secundárias (situadas ao redor da circunferência). 

Utilizar essa ferramenta certamente pode facilitar o processo de identificação, classificação e compreensão emocional. Veja abaixo uma ilustração da Roda das Emoções: 

Inteligência emocional teste

Fonte: Lifelong Workers

#2 Autogestão

A autogestão é a capacidade de gerenciar nossos estados internos, pensamentos e emoções. Uma vez que ganhamos consciência dos nossos sentimentos, ganhamos também a oportunidade de desenvolvê-los para permitir melhores respostas aos momentos que nos desequilibram emocionalmente. 

Emoções são reações fisiológicas a eventos importantes. A raiva, por exemplo, pode surgir diante de uma situação ameaçadora como uma resposta de defesa e ter autogestão sobre esse sentimento pode impedir uma reação automática. O objetivo em desenvolver essa habilidade é, portanto, diante de situações de conflito, sair do modo “piloto automático” e passar a refletir antes de responder. Dessa forma:

  • Reação – automática
  • Resposta – consciente

A dica do Daniel Spinelli para praticar essa habilidade é apostar em cinco atitudes antes de agir diante de uma situação que te desequilibra emocionalmente, são elas: 

  1. Parar
  2. Respirar
  3. Notar
  4. Refletir
  5. Responder

#3 Empatia 

Uma vez conscientes dos nossos sentimentos e capazes de responder calmamente às situações de conflito, estamos prontos para desenvolver a habilidade número três: a empatia. Por definição, empatia é a capacidade de se colocar no lugar de outra pessoa e conectar-se com seus sentimentos a partir das suas perspectivas. 

É uma habilidade fundamental para qualquer pessoa e profissional, especialmente para os líderes. Se a empatia é parte da cultura de uma Organização, certamente é possível colher muitos frutos positivos dessa escolha, como: uma comunicação mais fluida, maior integração entre os times e mais colaboração entre as pessoas.

É papel importante da liderança dar o exemplo e ser empático no dia a dia com seus liderados, seus pares, seus chefes e todos da empresa. Uma dica do nosso curso de Inteligência Emocional para praticar a empatia no ambiente de trabalho é: procure começar pelo que vocês têm em comum.  Busque similaridades entre áreas, projetos e desafios. Isso ativa a nossa capacidade empática e permite maior conexão entre você e quem quer que seja que você esteja se relacionando.

#4 Gestão de Relacionamentos

Esse é o momento de colocar em prática todos os aprendizados e integrar as três primeiras habilidades em favor de melhores relacionamentos, mais saudáveis e produtivos. 

Já ficou claro ao longo deste artigo que para ter sucesso diante de uma situação difícil é preciso desenvolver uma boa gestão de relacionamentos e a melhor maneira de fazer isso acontecer é mapear como você e a pessoa com quem você está se relacionando interpretam e sentem as situações. 

Uma dica do nosso curso de Inteligência Emocional para te ajudar nessa tarefa é mapear as principais relações que interferem na sua vida e construir um “jornal de relacionamentos”, onde você pode preencher e responder às perguntas com alguma regularidade (semanal ou quinzenalmente) ou diante de alguma situação de conflito. Veja abaixo um exemplo de jornal de relacionamentos: 

teste Inteligência emocional

Agora é com você

Ir ao nutricionista e receber uma nova proposta de alimentação não significa que você vai sair do consultório mais em forma ou mais saudável, para que isso aconteça é preciso implementar novos hábitos alimentares no dia a dia. O mesmo acontece com a Inteligência Emocional. Desenvolver novos hábitos leva tempo e consistência, mas compensa e muito! 

Ficamos muito orgulhosos em desenvolver um curso tão especial que agrega tanto valor nas vidas dos nossos alunos, seja profissional ou pessoalmente. Assista abaixo a um spoiler desse curso incrível:

Desenvolva um pouquinho todos os dias a sua inteligência emocional e use as emoções a seu favor para se tornar um profissional mais equilibrado, resiliente e preparado para o futuro! 

Que tal agendar uma conversa para saber como as nossas soluções podem transformar o engajamento do seu time em treinamento e desenvolvimento?

Witseed

Compartilhe

Share on facebook
Facebook
Share on twitter
Twitter
Share on linkedin
LinkedIn
Share on whatsapp
WhatsApp

Veja mais conteúdos

Peter Diamandis descreveu brilhantemente em 6 etapas como setores sofrem uma mudança Exponencial. Nesse artigo, traçamos
Metas para o ano que vem? Tendências que irão impactar a Educação Corporativa? Quem melhor que
Por Gabriela Cardoso / Gerente de Conteúdo da Witseed Não leve uma plataforma LMS para a